Publicado em Deixe um comentário

7 dicas incríveis para melhorar a autoestima infantil

Para termos crianças emocionalmente inteligentes, precisamos trabalhar a confiança e a autoestima infantil. É necessário que elas acreditem no próprio potencial desde cedo para desenvolverem bem qualquer tarefa – tanto na escola quanto nos esportes, nas brincadeiras e dentro de casa.

Mas como estimular a autoestima infantil de forma natural, sem que haja cobranças e exageros na busca pela perfeição (talvez essa seja a parte mais difícil para muitos pais)? Se nosso apoio não for equilibrado, o “tiro pode sair pela culatra” e o resultado pode ser o inverso do que queremos.

Por isso, vamos dar 7 dicas para trabalhar e melhorar a autoestima dos pequenos.

Como melhorar a autoestima infantil?

Veja como incentivar a autoconfiança nos pequenos:

1.Dedique um tempo exclusivo a eles

O dia a dia é corrido, com o emprego e as tarefas de casa. Mas é fundamental se desligar de tudo por um tempo e dar atenção somente à criança. 

Deixe o celular distante, desligue a televisão. O foco deve ser 100% no seu filho. Esse tempo pode ser aproveitado com uma conversa, uma brincadeira ou uma refeição. O importante é que a criança perceba que a atenção está voltada para ela naquele momento.

2.Corrija os erros com afeto

Algo que atrapalha muito a autoestima infantil é a sensação que a criança tem de que não pode cometer falhas. Quando ela errar, não brigue ou grite. O melhor é mostrar que o erro faz parte do aprendizado, e que sempre devemos estar prontos para aprender.

Que tal dar um exemplo de algo que aconteceu com você e mostrar o que aprendeu com a situação? Você pode propor um jantar em que todos falam de um erro que cometeram na vida. Não se esqueça de que as crianças aprendem pelos exemplos. E, nós, adultos, somos o exemplo.

3.Dê pequenas responsabilidades e parabenize os resultados

A criança também gosta de tomar decisões e ajudar em pequenas tarefas. Uma dica é deixá-la escolher a roupa que vai vestir, o jeito que vai arrumar o cabelo ou como colocar os pratos à mesa.

Ao final da ação, agradeça e parabenize pelo trabalho, mostrando como ela já é capaz de realizar tais tarefas. E deixe ela errar. Não faça por ela. Essas pequenas conquistas ajudam a construir autoestima infantil e a autonomia.

4.Não faça comparações

Nunca compare sua criança com outra (irmão ou amigo, por exemplo). Ninguém é melhor que ninguém; somos apenas diferentes. Mesmo quando você acha que sua comparação é “positiva” (por exemplo, quando diz que seu filho é melhor que outra criança), o resultado pode ser ruim. O pequeno pode acabar tendo um comportamento antipático com os demais e se julgar superior. 

Se a criança percebe as diferenças, faça ela ver como é boa em outra atividade. Isso pode ajudar a desenvolver relações mais duradouras e empatia.

5.Não crie rótulos

Não diga para a criança (ou mesmo para um adulto conhecido) que ela é desajeitada, boba, burra ou qualquer outro adjetivo negativo. Podemos carregar esse rótulo pela vida inteira.

Se ela está sempre esbarrando em algo ou tropeçando, em vez de chamá-la de desajeitada ou estabanada, diga para ela andar com mais atenção.

Se seu filho ainda faz xixi na cama, não diga que parece um bebê. Que tal dizer para ele beber um pouco menos de água antes de dormir e levantar à noite para ir ao banheiro? E não se esqueça de dar parabéns a cada manhã com a cama seca!

6.Valorize o esforço

Mais importante que o resultado alcançado é o esforço colocado em determinada ação. Se a criança perder em um jogo, por exemplo, valorize uma jogada boa que ela fez. Mostre que nem sempre é possível ganhar, mas que é necessário se empenhar. 

Você pode dar exemplos de atletas campeões que também perderam competições. Assim, ensina seu filho a ser um bom ganhador e também um bom perdedor.

7.Dê atenção às emoções

Se a criança chora, pergunte o motivo. Pode ser que ela tenha se machucado ou esteja com medo. Não diminua nem ria da situação, mesmo que você ache uma bobeira. É preciso que seu filho tenha em você um porto seguro. Tente entender o que está acontecendo e ajude-o a superar qualquer dificuldade.

Se, por outro lado, a criança mostra-se feliz com alguma coisa, comemore com ela e divida o sentimento. Mesmo que seja por algo simples, como aprender a colocar a meia ou calçar o sapato sozinho, essa alegria deve ser compartilhada.

A autoestima infantil precisa ser construída aos poucos e todos os dias. Tente realizar uma dica por semana para que esses comportamentos sejam internalizados e façam parte de sua rotina. Além de ajudar a criança, você perceberá como faz bem para si mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *