Publicado em Deixe um comentário

Aposte na educação inclusiva e viva a pluralidade

Você, educador, pratica o lema “educação para todos”? Muito mais que isso, é necessário desenvolver a educação inclusiva no Brasil, com dedicação e preparação. Te convidamos a refletir sobre o assunto em mais um conteúdo exclusivo, continue lendo! 

Diferenças não são problemas, são diversidade

A educação inclusiva favorece a pluralidade, trazendo os alunos para o mesmo contexto de aprendizagem. A arte de ensinar precisa abranger o pleno desenvolvimento e fortalecimento infantil, por meio de recursos que vão facilitar tudo isso.

Sendo assim, as diferenças não são vistas como problemas, mas como diversidade. A partir da realidade social, diante dessa variedade, podemos ampliar a visão de mundo e desenvolver oportunidades de convivência a todas as crianças.

O intuito é propor uma educação inclusiva de qualidade para todos os estudantes, prezando sempre pelos diferentes ritmos, culturas e estilos de aprendizagem – sem estigmas e discriminações, com uma atenção especializada -. 

Não dê diagnóstico na educação inclusiva 

Você, educador, reconhece a diversidade existente nos espaços escolares e faz desta um meio de transformação? O objetivo maior é buscar a valorização da diferença e da singularidade de cada pequeno!

Caso perceba diferenças entre os alunos, chame as famílias para conversar! Neste momento da educação inclusiva, é fundamental ser cuidadoso e aproveitar para fortalecer a parceria entre vocês – família e escola. 

Nunca dê um diagnóstico, dê um conselho. Com muita delicadeza, pergunte se a criança tem sido acompanhada por um pediatra e, se isso não acontece, sugira que o acompanhamento seja feito. 

A importância de formar uma rede de apoio

A educação inclusiva é essencial para a formação dos professores.

Para que tudo dê certo na educação inclusiva, é imprescindível consolidar a formação dos professores e criar uma boa rede de apoio entre alunos, docentes, gestores escolares, famílias e profissionais de saúde que atendem as crianças com autismo, síndrome de down e déficit de atenção, por exemplo. 

No Brasil, a regulamentação mais recente dentro da organização da educação inclusiva é o Plano Nacional de Educação (PNE 2011-2020). Esse documento estabelece a nova função da educação especial como modalidade de ensino, considerando o público alvo alunos com deficiência (intelectual, física, auditiva, visual e múltipla), transtorno global do desenvolvimento (TGD) e altas habilidades.

5 mandamentos da educação inclusiva

O que significa trabalhar em uma perspectiva inclusiva? Deve haver um planejamento pedagógico com atividades que contemplem  contemplem as necessidades e os interesses de todas as crianças, independentemente de elas terem ou não alguma deficiência. 

A BNCC estabelece seis direitos de aprendizagem para a Educação Infantil e eles devem ser contemplados quando o assunto é educação inclusiva

1. Promova diálogos;

2. Busque a formação docente com uma rede de apoio;

3. Invista em brincadeiras e interações entre as crianças;

4. Flexibilize o seu currículo; 

5. Faça um projeto pedagógico inclusivo, desde mudanças nas barreiras físicas até os recursos de aprendizagem.

A criança poderá ter um suporte especializado, como:

– Deficiência visual e auditiva: ensino de linguagens e códigos específicos de comunicação e sinalização

– Deficiência intelectual: mediação para o desenvolvimento de estratégias de pensamento,

– Deficiência física: adaptações do material e do ambiente físico;

– Transtorno global: estratégias diferenciadas para adaptação e regulação do comportamento

– Altas habilidades: ampliação dos recursos educacionais e/ou aceleração de conteúdos.

Seja a transformação! 

A transformação de paradigma no ambiente escolar exige professores preparados para a nova prática! O saber está sendo construído à medida que as experiências vão acumulando-se e as práticas anteriores vão sendo transformadas. Diante disso, a formação continuada tem um papel fundamental na prática profissional.

Uma das metodologias que pode ajudar nesse tipo de planejamento pedagógico é a inteligência socioemocional. Quando trabalhada em sala de aula, traz incríveis benefícios no desenvolvimento infantil. Se você quer se especializar e ter novos conhecimentos, inscreva-se no curso online Inteligência Socioemocional para Educadores, elaborado por Tonia Casarin! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *