Publicado em Deixe um comentário

Educadores: como lidar com o Transtorno Opositivo Desafiador na escola

Transtorno Opositivo Desafiador nas escolas

Muitos professores vivenciam experiências de lidar com alunos que fazem birra, provocam colegas e, por vezes, desobedecem sua própria autoridade dentro de sala. 

Pois bem, essas atitudes podem ser um sinal do Transtorno Opositivo Desafiador (TOD) na escola. Você, educador, já passou por isso ou não sabe lidar com esses alunos? Venha saber mais! 

O que é o TOD (Transtorno Opositor Desafiador)?

Esse transtorno é comum no meio escolar, onde a criança manifesta comportamentos disfuncionais que variam em cada um. O Transtorno Opositivo Desafiador na escola pode afetar a aprendizagem do pequeno, até mesmo suas relações com outros colegas. 

Os sintomas do TOD podem aparecer em qualquer momento da vida, porém, é mais comum em idades entre 6 e 12 anos. Entre as manifestações, estão: irritação excessiva, déficit ou atrasos no desenvolvimento e agressividade (verbal e física).

Qual o impacto do TOD na aprendizagem? 

Como mencionado acima, o Transtorno Opositivo Desafiador nas escolas tem forte impacto não só nas relações da criança com as outras, mas também no seu aprendizado. O que torna um desafio também para os educadores. 

Facilidade de distração, falta de foco, déficit de atenção são comuns em alunos com esse transtorno. Esses sintomas são associados ao TDAH em 50% dos casos, por isso, deve ser observado e investigado para se tomado medidas necessárias.  

6 comportamentos que caracterizam o TOD nas crianças

Algumas atitudes que descrevem uma criança com Transtorno Opositivo Desafiador podem ser identificadas no meio acadêmico ou pela família: 

1 – Explosões de raiva

2 – Resistir a aceitar ordens 

3 – Tentativa de irritar as pessoas

4 – Manipulação

5 – Rejeição por colegas

6 – Baixa autoestima

7 – Isolamento social 

O papel do educador no suporte escolar 

Você, educador, entende bem da relevância do seu apoio e participação na aprendizagem dos alunos, especialmente para os pequenos. É fundamental saber que quando a criança apresenta sinais do TOD, ela pode ter bons resultados. 

Mesmo que seja um desafio lidar com crianças com esses transtornos, é seu dever oferecer todo suporte, tais como adaptações e formas de contornar alguma crise do pequeno. 

Como os educadores devem lidar com os transtornos nas escolas

Como lidar com o Transtorno Opositivo Desafiador na escola?

Para os professores, essas dicas podem ser ideias para solucionar e controlar atitudes de alunos com TOD. Veja algumas: 

1 – Advertir comportamentos com cautela

Quando a criança iniciar comportamentos que chamem atenção, a melhor forma é não repreendê-la na frente dos colegas! Chame-a em um canto e converse reservadamente. 

Outra dica é manter a calma, mesmo em momentos de agressão. A criança com TOD quando contrariada, pode ter reações ríspidas e violentas. 

2 – Reforce a inclusão da criança nas aulas

Não isole crianças com TOD por seus comportamentos inadequados! Inclua nas tarefas de sala, como ajudante ou pedir para fazer parte de alguma brincadeira. 

Caso não funcione, procure os pais e o terapeuta do pequeno para que você encontre soluções para a rebeldia. 

3 – Conquiste a confiança da criança

De fato você deve conquistar todas as crianças, mas quando se tem um aluno com TOD, é essencial que você o conquiste. Essa relação ajudará a inibir algumas ações que ele gostaria de fazer. 

4 – Adaptações que fazem toda a diferença nas aulas 

Pequenas mudanças dentro da sala ajudam a evitar algumas atitudes! Colocar a criança em locais que não a faça se distrair, como posicioná-la na primeira fileira, por exemplo. 

Além de ajudar o aluno a focar no conteúdo, estar perto dos colegas reforça o clima harmônico. No entendo, é bom ressaltar que cada situação pode variar. 

A relevância da educação socioemocional nas escolas

Seja para pais ou professores, tornou-se imprescindível o entendimento sobre a inteligência emocional das crianças e o poder no desenvolvimento delas. 

O tema, além de estar cada vez mais em alta, exige um aprofundamento do corpo acadêmico para que seja aplicado dentro das escolas; através de aulas, formas de aprendizagem e entre outras maneiras. 

Você, educador, para ajudá-lo nessa jornada de aprendizado sobre a educação socioemocional das crianças, o curso Competências Socioemocionais para Educadores, da Tonia Casarin, dará todo conhecimento sobre o assunto e prepará-lo da melhor forma! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *