Publicado em Deixe um comentário

Net speak: a linguagem da internet impacta no aprendizado?

linguagem da internet no aprendizado infantil

Você já ouviu falar no net speak? Com certeza já utilizou em suas conversas virtuais, embora nunca tenha ouvido esse termo. A linguagem da internet ou net speak, faz parte há alguns anos da vida dos internautas, especialmente dos jovens. 

No entanto, essa escrita “internetês” já trouxe momentos de tensão na comunidade acadêmica. Mas será que a linguagem da internet pode impactar no aprendizado? Venha entender melhor esse o assunto. 

Primeiro de tudo, o que é o net speak?

Ortografia adaptada, abreviações, emojis… todas essas características estão presentes na linguagem da internet. Certamente você já viu frases como: “oi, td bem? Mts sdds!” em tradução “Oi, tudo bem? Muitas saudades!”.

Esse formato de escrita surgiu nos anos 1990, com a popularização das redes. Com o intuito de facilitar a comunicação, logo virou um código em determinados grupos. Presente na vida virtual dos pré-adolescentes e jovens, o internetês promete mudanças significativas na comunicação social. 

O internetês faz parte da nova geração! 

Embora você não esteja habituado ao net speak, muitas crianças e jovens usam esse tipo de escrita para se comunicar nas redes sociais, jogos, etc., todavia, qual o limite de utilizar essa linguagem e a influência fora da internet?

Precisamos assumir que a nova geração está totalmente imersa no digital, trazendo impactos também para o seu aprendizado, tanto positivos quanto negativos. E isso não tem previsão de mudar ou acabar! 

Apesar da linguagem da internet não parecer tão inofensivo, fique atento se crianças estão levando esse tipo de escrita para o mundo acadêmico. Nessas horas, pais e professores devem alinhar formas de contornar isso, sem afetar no ensino. 

O impacto da linguagem da internet no aprendizado 

Uma notícia boa: embora o net speak seja uma linguagem coloquial que imita a oralidade, boa parte dos seus adeptos sabem onde e quando utilizá-la. Além disso, para enviar uma mensagem com a escrita abreviada, é preciso saber quem é o interlocutor do outro lado da tela! 

Na normalidade, adultos e jovens possuem mais maturidade para lidar com essa linguagem. Já as crianças, que estão em processo de desenvolvimento e aprendizagem, não possuem ainda o discernimento do uso. 

Para isso, não cabe somente aos pais lidarem com essa situação. O professor também desempenha uma função de entender e trabalhar formas dessa nova prática social em sala. 

Visto que as aulas virtuais estão ganhando espaço dentro da educação, esse momento é fundamental para fortalecer os limites no uso da linguagem da internet, uma vez que acontece comunicações por fóruns, chats e elaboração das atividades. 

A função do educador nessas práticas sociais

Ser professor na era digital é um desafio e tanto, principalmente para aqueles que não estão dispostos a encarar essa realidade. Com as aulas EAD inseridas por conta do novo coronavírus, educadores precisam encarar essa mudança repentina. 

Pensando nisso, os professores devem se aprofundar em novas práticas de comunicação, incluindo as digitais, para levar esse conhecimento para os seus alunos, além de oportunidades no uso da língua em suas diferentes modalidades. 

Por isso, educador, busque compreender e aperfeiçoar suas habilidades para incluir possibilidades comunicativas da linguagem, com o objetivo também de formar alunos capazes de entender a diversidade no uso da língua em diferentes contextos sociais. 

O net speak no futuro  

Considerando que a nossa Língua Portuguesa é passível de alterações, será que a linguagem da internet pode impactar o português? A resposta é SIM! 

Não existem razões para censurar o “internetês”. Ao contrário disso, devemos buscar formas de usá-lo positivamente e, nesse aspecto, as possibilidades são infinitas. Por isso, é fundamental que o educador prepare quem educa para utilizar de forma crítica e adequada às diversas variações linguísticas. 

Gostou desse conteúdo? Deixe o seu comentário! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *