Publicado em 2 comentários

Qual o papel dos pais na educação dos filhos? – Tonia Casarin

Todos os responsáveis já devem ter questionado: como minha participação na vida do meu filho vai ajudar em seu desempenho escolar? Com base na mesma pergunta, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) fez em 2015 um estudo com alunos de 15 anos de todo o mundo para saber mais sobre qual o papel dos pais na educação dos filhos

Foi analisado também o que é importante que os cidadãos saibam e sejam capazes de fazer, o objetivo era identificar evidências comparando o desempenho deles internacionalmente. Os resultados são muito importantes para os pais.

Quer saber mais sobre qual o papel dos pais na educação dos filhos? Saiba mais sobre os resultados do estudo neste post:

Qual o papel dos pais na educação dos filhos?

 Veja como os responsáveis influenciam na educação dentro e fora das escolas:

A avaliação PISA e alguns resultados

A avaliação da OCDE teve a duração de três anos e foi intitulada Programa de Avaliação de Estudantes Internacionais (PISA). Esse estudo analisou adolescentes já perto de concluir a escola. O objetivo era avaliar como eles estavam ganhando conhecimentos e habilidades para fazer parte da sociedade moderna. As matérias analisadas foram ciências, leitura e matemática. O foco foi na capacidade dos alunos de reproduzir o que aprenderam e aplicar estas informações fora da sala de aula. 

Bem-estar

Dentro da PISA 2015, um capítulo avaliou o bem-estar dos alunos. Foram analisadas capacidades cognitivas, psicológicas, físicas e sociais para viver de forma satisfatória e feliz. Os resultados mostraram, sobretudo, a diferença de adolescentes que tinham maior participação dos pais em suas rotinas dos que não tinham

Os dados divulgaram atitudes e comportamentos positivos para o desenvolvimento saudável, como motivação e interesse. Além disto, indicaram aspectos negativos, como a ansiedade. Naturalmente, a presença dos pais faz toda a diferença. 

Como estar perto dos filhos transforma realidades?

O interesse dos pais na vida dos filhos, como a participação na escola e realização de atividades fora dela, estão diretamente relacionados com o desempenho deles enquanto alunos. 

A família é a primeira forma de convívio em um ambiente social que as crianças têm. Apoio, amor, proteção e cuidado são fatores que permitem o desenvolvimento da saúde física, mental e social dos alunos. A interação com o pai e a mãe influencia realizações, expectativas e atitudes benéficas dos jovens.

Conforme os dados do PISA, em aproximadamente 18 países 82% dos pais fazem a refeição principal com os filhos sentados à mesa. Além disso, 70% passam o tempo apenas conversando com eles e 52% falam com os jovens sobre a escola e o desempenho deles de forma diária ou frequente. Os adolescentes que estão nessas estatísticas pelo menos uma vez por semana têm maior desempenho em ciências e são mais propensos a altos níveis de satisfação na vida.
Um dado positivo mostrou que pais que acompanham a vida escolar dos seus filhos os ajudam a ter notas maiores e um bom desempenho escolar. Do outro lado, os pais que não acompanham o desempenho escolar dos seus filhos relatam alguns pontos: 36% dizem que não tem tempo por conta do trabalho, 33% não acompanham as reuniões escolares pelo horário e 17% não sabe como integrar atividades escolares.

Como os pais influenciam na inteligência socioemocional dos filhos?

Não há estudos que comprovem a relação entre o desempenho de um aluno e o tempo que passa com seus pais em ocasiões como almoços. Entretanto, essa rotina de união faz diferença para melhores resultados. 

A razão para isso é que nesses momentos há a oportunidade de encorajar os jovens. Além disso, é possível verificar o desempenho deles e demonstrar apoio. Consequentemente, isso se traduz em um ambiente estruturado em casa, mais estável e menos estressantes para os filhos.

Há algumas variáveis nesses resultados entre comunicação familiar e satisfação de vida dos alunos. Os pais podem estar mais propensos a acompanhar as atividades quando os filhos estão mais satisfeitos com a vida. Isso, em tese, os torna mais abertos a comunicação.

Também há de ser considerado como os jovens veem as tentativas de envolvimento dos responsáveis. Se o comportamento dos pais é apoiador, os índices de depressão dos adolescentes são menores. Porém, atitudes controladoras mostram taxas mais altas de depressão e conduta antissocial.
Por isso, conversar e fazer refeições regularmente com os filhos constrói comportamentos que ajudam na comunicação e sociabilidade. Essas habilidades contribuem na autoconfiança e satisfação com a vida. Os alunos que informaram que os pais se interessam por suas atividades escolares têm notas mais altas em ciências. 

Os que disseram que há falta de interesse estão sujeitos a baixos desempenhos. Isso porque é possível que encarem a atenção que recebem como algo que dá mais valor à educação. Assim, estabelecem metas para aprender e evoluir.

Como os pais podem melhorar a educação dos filhos?

Por meio do estudo realizado, o PISA mostrou que algumas atitudes simples de convivência entre pais e filhos refletem diretamente no desempenho escolar dos jovens:

  • adoção de rotinas saudáveis e simples por parte dos pais, como refeições conjuntas e conversas;
  • escolas capazes de identificar pais que não podem participar de atividades escolares e, assim, flexibilizar formas de comunicação alternativas;
  • professores encorajados a receber pais como parceiros da educação. Essa atitude deve se relacionar sobretudo àqueles cujos filhos precisam de mais apoio para ir bem na vida e na escola;
  • governos que incentivem empregadores para adotar políticas de equilíbrio entre vida e trabalho. Essas práticas farão com que os pais tenham tempo para suprir as necessidades dos filhos.

Por meio dessa realidade, é possível perceber qual o papel dos pais na educação dos filhos. Se feito de forma adequada, forma seres humanos satisfeitos com suas vidas, capazes de um bom desempenho acadêmico e profissional no futuro. 

É importante notar que os responsáveis também agem como preparadores emocionais das crianças, já que ajudam no desenvolvimento da inteligência emocional delas. Assim, auxiliam os jovens a buscar a felicidade e o seu crescimento pessoal.

Essas informações mostram que é preciso investir tanto em melhores políticas públicas para a educação como também na formação de pais. Se eles obtiverem as ferramentas que favoreçam o crescimento dos filhos de maneira certa, farão toda a diferença. Dessa forma, é preciso levar em conta os resultados deste estudo, aplicando-os em medidas simples e eficiente. Assim, um futuro melhor e mais feliz estará garantido para os jovens, o que fará com que construam uma sociedade melhor.

Entendeu qual o papel dos pais na educação dos filhos? Como você age para manter os laços com as crianças? Você estimula a inteligência socioemocional delas? Deixe seu comentário no post!

ctas-tmnb_modelo-2

2 comentários sobre “Qual o papel dos pais na educação dos filhos? – Tonia Casarin

  1. Boa noite!
    Estou desenvolvendo meu TCC em cima desse assunto,poderia me ajudar me indicando autores que falam sobre esse tema?
    Estou tendo dificuldade para isso.
    Agradeço desde já.

    1. Olá, Alessandra! Tudo bem?
      Em nosso blog, você encontra vários conteúdos que possam te ajudar. Caso tenha referência com algum autor, informaremos nos créditos. À princípio, você pode começar lendo o livro “Mindset”, da Carol S. Dweck.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *