Publicado em 2 comentários

Os perigos do cyberbullying para as crianças

Perigos do cyberbullying para as crianças

Com a era digital, as práticas de cyberbullying se tornaram mais frequentes e perigosas, principalmente para crianças e jovens. Por isso, papai e mamãe, estejam mais atentos! Venha saber mais.   

O que é o cyberbullying? 

As práticas do bullying estão presentes nas escolas ou em qualquer outro lugar que tenha crianças. Com o mundo digital, agora todos veem o bullying praticado. Em razão disso, existe um grande risco para a saúde mental das crianças.

Implicância, discriminação, agressões verbais e humilhação estão entre as violências virtuais mais praticadas. Antes, ocorria dentro de um grupo de pessoas. Hoje, se tornou exposto, sem limitações e ainda mais cruel. 

Na Internet, provocações e xingamentos estão constantemente atormentando as vítimas. Por isso, responsáveis e educadores precisam estar em alerta diante do cyberbullying contra crianças. 

Quais perigos do cyberbullying para as crianças? 

Embora seu filho possua regras e limites para acessar a Internet, é seu dever supervisionar e evitar que ele se torne refém do assédio moral dos colegas. 

São diversos os riscos para a saúde mental e física da criança sofrer de cyberbullying. Saiba alguns: 

Depressão

– Tristeza; 

– Dificuldade de socializar e sair de casa; 

Ansiedade;

– Isolamento total; 

– Afeta o desempenho escolar. 

Para evitar isso, converse, explique sobre os perigos da internet e monitore o que está sendo acessado! 

O papel da escola na prevenção

Pais e educadores precisam estar unidos nessa prevenção. A escola precisa encarar a seriedade das agressões e práticas de bullying entre os alunos. O cyberbullying não deve ser visto como uma brincadeira! 

É necessário buscar uma solução e prevenção dessas violências, físicas e virtuais, além de mostrar para os pais a gravidade disso para seus filhos. Algumas ações que podem ser praticadas pela escola: 

– Ensinar sobre o respeito com o próximo e a diversidade;

– Ouvir os alunos; 

– Mostrar os limites; 

– Dar o exemplo; 

– Alertar aos riscos da tecnologia.

Formas de evitar o cyberbullying com crianças

5 formas de evitar que o seu filho sofra com o cyberbullying 

1 – Abordar os perigos do mundo virtual 

Sempre converse com seu filho sobre os riscos da internet. Embora existam benefícios para ele, como conhecimento e novas aprendizagens, exige muito cuidado em tudo que for acessado. 

2 – Invista em aplicativos de monitoramento

Rastrear e supervisionar o que seu filho acessa é um dos cuidados mais essenciais. Assim, você consegue saber as pesquisas e os sites que ele anda acessando.  

3 – Converse sobre o cyberbullying 

É essencial ser claro e manter a comunicação com a criança, para tudo! Explique sobre o cyberbullying, as consequências dessa violência para ele e qualquer colega que passe pela mesma situação. 

4 – Verifique como seu filho se comporta na internet

Analise o comportamento da criança na rede, como ele conversa com os coleguinhas. Isso é uma forma também de identificar como está tratando as pessoas, se é uma vítima ou agressor. 

5 – Entre em contato com a escola 

Para reforçar: você e a escola deve se alinhar! Caso você perceba que o seu filho sofra de cyberbullying, entre em contato e procure conversar com os pais do agressor. 

Sua atenção é fundamental para evitar o pior! 

É super importante estar por dentro do que seu filho faz na internet, para que o cyberbullying não cause nada mais grave. Por isso, esteja sempre atento, converse e busque formas de solucionar. Assim, evita que o problema se estenda por mais tempo e traga consequências sérias. 

Vamos conversar mais sobre isso? Deixe seu comentário!

2 comentários sobre “Os perigos do cyberbullying para as crianças

  1. Podes me ajudar sobre exemplos de cyberbullying? Meu filho tem 7 anos e começamos a liberar o videogame e jogos on-line com amigos. Estamos aprendendo também.

    1. Olá, Angélica! Tudo bem? O segredo para solucionar ou prevenir muitos problemas continua sendo a conversa em casa, aberta e sem tabus. É super importante que o seu filho conheça também as emoções dele e como pode desenvolver da melhor forma. Caso ele se depare em uma situação de raiva, medo, tristeza, por exemplo, ele vai saber como lidar e conversar com você também. Resumindo: diálogo e inteligência emocional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *