Publicado em Deixe um comentário

5 dicas para resolver brigas entre irmãos

Quem tem dois filhos ou mais sabe como é comum que haja brigas entre irmãos. Qualquer discussão pode se tornar acalorada demais, passando por ofensas e até agressões físicas. Por mais que possa ser algo normal, o ideal é que não vire rotina. Afinal, se uma criança não consegue discutir de forma civilizada com alguém da família, em outros ambientes e com pessoas desconhecidas, pode ser ainda mais complicado. Vamos conversar mais sobre esse assunto? Neste post, vamos entender as principais causas e vou te dar 5 dicas de como evitar brigas entre irmãos. Confira: Leia mais

Publicado em 2 comentários

Como educar seus filhos? Aprenda a ensinar valores – Tonia Casarin

Aprender como educar os filhos dá trabalho, não é uma tarefa simples e fácil. Por vezes, os pais sentem-se cansados, estressados, frustrados ou simplesmente sem tempo. Ser pai e mãe exige dedicação, paciência, autocontrole, energia, amor, perseverança… Opa…

Se acendeu uma “luzinha de alerta” em sua mente, é bom não ignorá-la. Pode ser um sinal de pistas importantes do que não está indo bem, caminhando como gostariam. Como dedicar tempo para a educação dos filhos se nunca temos tempo? Priorizar, organizar rotina, estar realmente presente na companhia dos filhos, compreender quais valores são importantes para vocês pais e se sintonizar com as necessidades emocionais dos filhos são algumas sugestões que podem orientar esse processo de educar.

Se o tempo é curto, é preciso que ele seja de qualidade, mas como ele deveria ser? Como educar seus filhos com valores são fundamentais para vocês? E seus filhos, o que eles consideram importante e do que precisam para estar no mundo e se virarem quando forem adultos?

Ok. Não se desesperem. Saibam que educar uma criança não é simples e nem fácil. Afinal, não existe receita pronta. Cada pessoa, família, comunidade, têm suas próprias crenças e valores.

Quer algumas dicas sobre como educar seus filhos? Continue a leitura:

Como educar seus filhos com os valores dos pais?

Quando você começa a educar uma criança, preza por dar a ela os melhores valores e propósitos que conhece. Veja como passar para seus filhos os princípios nos quais acredita:

Faça uma lista

Sugiro um exercício para vocês começarem a se conectar com seus valores e propósitos direcionados à educação dos seus filhos. 

Faça uma lista do que é importante para vocês na educação de seus filhos. Exemplos: gentileza, autonomia, autodisciplina, autoestima, habilidade para se relacionar, prática de esportes e boa alimentação.

Você também pode listar tudo aquilo que tem feito para ajudar seus filhos a desenvolver suas habilidades.

Exemplos:

  • combino que meu filho deverá ajudar a família a realizar algumas tarefas para casa, mas que sejam apropriadas a sua faixa etária;
  • convido amigos para brincar com meu filho ou incluo atividades com crianças nos finais de semana;
  • dedico um tempo diariamente para conversar ou brincar com meus filhos;
  • organizo a rotina de sono, alimentação, estudo e me certifico de que será cumprida.

Observe os sabotadores diários 

Note o que tem desviado vocês de seus objetivos, considerando pensamentos sabotadores:

  • “Estou muito cansado hoje. Compenso no final de semana com um passeio no clube ou qualquer outra atividade”;
  • “Ele é muito desobediente. Não tem jeito, ele sempre será do contra!”;
  • “Vou deixá-lo jogar só mais um pouco de videogame pois ele insistiu muito e fica tão tranquilo…”;
  • “Não sou uma boa/bom mãe/ pai”;
  • “Meu filho poderia ser igual a seu amigo que é tranquilo, educado, obediente…”.

Além dos pensamentos, há também os comportamentos sabotares: superproteção, adiamento (“deixa para lá”), críticas, promessas não cumpridas, falar demais e não ouvir, permissão para a criança fazer o que tem vontade sempre, fazer as tarefas da criança…

E as emoções desconfortáveis, será que você também costuma sentir?Tristeza, frustração, raiva, medo, ansiedade, preguiça, ciúmes…

Seja realista

Reflita e liste comportamentos orientados para aquilo que é importante na educação das crianças. Mas, lembre-se de que saber como cuidar de seus filhos é ser, acima de tudo, realista. Vocês não são máquinas! Veja algumas dicas de atividades que você pode incluir no dia a dia:

  • tenha um tempo para jogar, brincar e conversar com meu filho diariamente;
  • organize e cumpra uma rotina adequada e realista de sono, alimentação e estudo, apesar dos protestos que a criança possa fazer;
  • escutar mais meu filho;
  • faça promessas que você realmente vai cumprir: o cinema do final de semana e a leitura do livro antes de dormir, por exemplo;
  • aceite suas imperfeições: você pode (e deve!) errar e aprender com seus erros.

Esse exercício ajudará vocês a se aprofundar com seus valores, entender melhor quais obstáculos desviam daquilo que traçaram como fundamental para a educação dos seus filhos e a se conectar com aqueles que estão em sintonia com o que acreditam.

É preciso entender que alguns desvios vão acontecer, assim como reavaliações das estratégias que escolheram, pois afinal vocês não são robôs que seguem mecanicamente um script pré-programado. Sempre haverá obstáculos ou mudanças no meio do caminho, mas o importante é estar atento e consciente ao notar o que realmente é fundamental para vocês e seus filhos, e aos rearranjos que precisarão fazer, aceitando que ninguém é perfeito.  Desta forma, vocês vão aprender a realizar escolhas mais comprometidas com seus valores, libertando-se de automatismos que os levam a repetir sem refletir aquelas práticas disciplinares que aplicam porque conhecem, mas sabem lá no fundo de suas mentes e corações que de fato não servem mais, não funcionam como gostariam.

Como você viu, saber como educar seus filhos é um processo de aprendizagem diário, portanto não deve ser negligenciado. Agora, é arregaçar as mangas e começar o trabalho, comemorando cada ganho e sucesso, reavaliando o que não deu certo.

Para se aprofundar nesse assunto, tenho um curso que vai otimizar ainda mais o processo. Conheça mais sobre Emoções em Família e Tsunami Familiar.

af_tonia_cta-10-desconto-medo_900x200px

Publicado em Deixe um comentário

Pare de condenar: aprenda a aprender com os erros! – Tonia Casarin

Parte do processo de criar um ambiente de pertencimento na sala de aula passa por aprender com os erros. Provavelmente, você, professor, vai tentar várias estratégias até que consiga criar esse ambiente. Isso leva tempo. É um processo cheio de tentativas (e erros, claro) ao longo do caminho.

E morremos de medo de errar. Mas essa é uma certeza com a qual temos que lidar. Vamos errar. Ponto. É inevitável, somos humanos, ainda que super-humanos. E a beleza do erro está no aprendizado que vem com isso. Portanto, parte de criar um ambiente de aprendizagem é criar um ambiente em que os alunos possam errar e, principalmente, aprender com os erros.

No entanto, se nós temos dificuldades de admitir as próprias falhas, imagine as dos alunos! Um ambiente acolhedor é aquele que permite não só que o estudante erre, mas que também seja capaz de aprender com os erros. Isso não só auxilia na aprendizagem da turma , mas também na do professor.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira minhas dicas:

Como aprender com os erros auxilia educador e aluno?

Veja como errar pode ser a porta de entrada para uma aprendizagem muito mais completa:

Descubra o motivo do erro

O erro é um ponto de partida para o aprendizado, que possibilita a troca. E o feedback de qualidade mostrou ser uma das maneiras mais eficazes de melhorar os resultados de aprendizagem aos alunos.

A chave para o feedback efetivo é entender por que o aluno errou ele pode cometer um erro sistemático na forma como interpreta o material, ou pode ser que ele simplesmente não tenha entendido o que era pedido no enunciado do problema.

O mais importante é dedicar tempo para entender a raiz do erro, pois isso pode ser a diferença entre um aluno evoluir ou não no aprendizado.

Ofereça um feedback completo

O feedback não deve estar somente na nota. Já foi comprovado que mensagens qualitativas nas provas ou testes, por exemplo, podem ajudar os alunos a alcançar um nível melhor de aprendizagem. Você também pode alcançar esse resultado, em uma conversa com o aluno, de forma clara.

É evidente que o feedback efetivo também pode assumir a forma de uma conversa entre professor e aluno. O recomendado é que os professores sejam específicos com os alunos, oferecendo suporte e os desafiando ao mesmo tempo. Ajudaria também se os alunos soubessem quais recursos estão disponíveis a eles.

Sugira alternativas

Os professores poderiam ajudar os alunos sugerindo duas ou três ações que eles podem fazer para evitar esses erros na próxima vez. Isso ajuda os alunos a aprender com os erros por conta própria e a incorporar essas ações na próxima vez.

Às vezes, os professores podem até achar que os alunos não apenas se corrigem, mas também ajudam os outros com os erros que eles mesmo tiveram, de forma a ajudar o próximo a não cometer o mesmo erro. Os professores podem encorajar trabalhos em grupo para que as interações ocorram mais vezes na sala de aula. E, mais do que isso, para que os alunos aprendam uns com os outros. Ou ainda, criar um ambiente em que os próprios alunos possam dar feedback uns aos outros.

Isso traz à tona oportunidades para trabalhar competências socioemocionais, como a comunicação.

Aprender com os erros não é apenas dar aos alunos as respostas certas ou dizer a eles o que fizeram de errado. Mais do que isso, dar um bom feedback é ajudá-los a entender como eles podem melhorar seu o que? na próxima vez. E o erro parece ser o primeiro passo para o aprendizado. Portanto, palmas para quem errou!

Se o seu pequeno tem dificuldades de lidar com as emoções quando erra, não deixe de identificar os monstrinhos que ele está sentindo a partir dos livros Tenho Monstros na Barriga e Tenho Mais Monstros na Barriga.

Publicado em Deixe um comentário

10 benefícios de estimular a leitura infantil no seu filho – Tonia Casarin

Incentivar a prática da leitura infantil desde cedo é um hábito essencial que traz diversos benefícios para o desenvolvimento dos pequenos. Além de facilitar a aprendizagem e a integração com o meio em que vivem, é um costume que aproxima os membros da família.

Ao fortalecer os vínculos entre pais e filhos já nos primeiros anos de vida, a criança estará aprendendo não só a falar, adquirir coordenação motora ou andar, mas também a desenvolver as aptidões necessárias para lidar com novos sentimentos, como medo, alegria ou raiva. Tudo isso pode ser desenvolvido por meio da leitura infantil acompanhada pelos pais.

Por meio das histórias, a criança poderá ser mobilizada por aquela narrativa ao utilizar a imaginação para dar vida ao que ela escuta e lê. Além disso, ela também pode desenvolver empatia quando se coloca no lugar do personagem. O livro é um grande elo entre pais e filhos, servindo como ferramenta para o diálogo e aprendizagem, além de um ser um momento único de carinho, afeto e troca.

Você costuma ler desde criança? Já pensou em estimular esse hábito no seu filho? Confira 10 benefícios da leitura infantil!

10 benefícios da leitura infantil para seus filhos.

A leitura não deve ser um hábito “chato” para seus filhos. Portanto, quanto mais cedo você estimular, melhor.

Veja 10 vantagens que a leitura infantil pode proporcionar:

  1. crescimento pessoal: a empatia despertada pela narrativa gera uma reflexão para a criança e estimula seu desenvolvimento emocional;
  2. Conhecimento: a leitura infantil estimula a criatividade e as habilidades linguísticas, de memória e conhecimento dos pequenos;
  3. Felicidade: a leitura amplia várias conexões cerebrais que despertam hormônios do prazer e do relaxamento;
  4. Linguagem: o hábito ajuda no desenvolvimento da linguagem tanto escrita quanto oral;
  5. Foco: aumenta a capacidade de concentração e atenção;
  6.  Criatividade: aguça a imaginação e a curiosidade;
  7. Sono: ajuda a criança a relaxar e a dormir melhor.
  8. Atenção: aumenta a habilidade da escuta ativa;
  9. Raciocínio: provoca o senso crítico da criança;
  10. Vocabulário: amplia o número de palavras conhecias pela criança.

Por que desenvolver o hábito da leitura infantil?

Os pais são os principais modelos e exemplos das crianças Por isso, mostrar interesse e estimular a contação de histórias é fundamental para que as crianças despertem o desejo pela leitura infantil.

Segundo a 4ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, promovida pelo Instituto Pró-Livro e realizada pelo Ibope, existe uma conexão direta entre os leitores ativos e o fato de os pais terem lido para eles durante a infância. De acordo com a pesquisa, cerca de 26% dos leitores afirmaram que suas mães “sempre” liam. O percentual é mais que o dobro do registrado entre os “não leitores” (12%). Mesmo quem afirmou que a mãe costumava ler “às vezes”, os resultados indicam um efeito positivo para o grupo dos leitores: 31% contra apenas 20% entre os não leitores.

Portanto, uma dica é: use qualquer ocasião disponível para estimular a leitura infantil. Pode ser a hora de dormir, antes de ir para escola ou em qualquer outro momento, não importa! Criar o hábito da leitura aumenta o vínculo dos pais com os filhos, traz encantamento aos pequenos e é um ótimo hábito para o desenvolvimento da criança!

Para concluir, observe quais assuntos chamam mais a atenção da criança, permita que ela leia com ou para você, faça perguntas sobre os monstrinhos e estimule conversas em torno da história. Faça do momento de leitura algo prazeroso para os pequenos!

Entendeu como estimular a leitura infantil dentro de casa? Pronto para colocar essas dicas em prática? Aproveite os livros Tenho Monstros na Barriga para apresentar às crianças de forma lúdica as emoções e ensinar a lidar com elas de forma construtiva! 

Publicado em Deixe um comentário

Como evitar brigas de casal na frente dos filhos? – Tonia Casarin

Muitas vezes nós não nos damos conta, mas as =&0=& de casal diante dos nossos filhos podem criar uma =&1=& para sempre, além de influenciar negativamente o desenvolvimento emocional deles. Estudos já mostram o quão negativamente essas discussões podem afetar a vida das crianças.

Você costuma ter brigas de casal na frente dos seus filhos? Já parou para pensar nas consequências que podem causar na vida deles? Entenda mais sobre o assunto neste post:

Quais as consequências das brigas de casal na frente dos filhos?

Brigas de casal têm um efeito muito negativo nas crianças. Um estudo publicado no jornal da Associação Americana de Psicologia é mais uma confirmação disso. A pesquisa aponta que =&3=& em casa podem alterar o psicológico dos filhos, principalmente o modo como eles lidam com as emoções e com as outras crianças.

O estudo selecionou dois tipos de crianças:

  • um grupo era formado por quem dizia ver os pais brigando com muita frequência e  entendiam aquilo como ameaça de separação;
  • o outro não presenciava muitos conflitos importantes.

Em seguida, os pequenos foram orientados a ver fotos de casais felizes, sem expressão e furiosos enquanto tinham a atividade cerebral monitorada. Eles teriam que apontar quais deles estavam alegres, com raiva ou neutros.

Crianças vindas de lares com baixa ocorrência de conflitos =&5=&. Já as que encaravam as brigas dos pais como uma ameaça acertaram as expressões de alegria e de raiva, mas erraram as neutras. Isso acontecia porque essas feições não chamavam a atenção delas e, por esse motivo, não conseguiam identificá-las.

O estudo concluiu que as crianças que vivem em um ambiente de conflito estão acostumadas a viver em =&6=&, o que pode gerar =&7=&. Assim, filhos que sempre presenciam os pais brigando em casa podem ter dificuldade de se integrar socialmente e de fazer amigos.

af_tonia_cta-10-desconto-medo_900x200px

Como evitar brigas de casal na frente das crianças?

As discussões fazem parte em qualquer relação, afinal seria impossível um casal concordar sobre tudo. No entanto, quando as palavras se tornam duras e cruéis e o respeito acaba, então a discussão se torna uma =&9=&e o casal se envolve em emoções destrutivas nada favoráveis à relação e ao exemplo para as crianças.

Se um casal diverge em algo, não precisa omitir dos filhos. Mas essa conversa deve acontecer com =&10=&, sem =&11=&=&12=&e, especialmente, sem violência, seja ela física ou verbal.

Seus filhos vão aprender sobre respeito ao enxergarem o exemplo dos pais. Afinal, embora muitas vezes não pareça, as crianças estão constantemente observando e repetindo o comportamento dos adultos mais próximos. Eles são um espelho das suas atitudes.

Além disso, ele precisa entender desde cedo que =&13=& pois nos levam ao aprendizado! Por isso, quando não concordar com a outra pessoa, tente debater sobre o assunto =&14=&=&15=&=&16=&. Demonstrar cumplicidade e compromisso para resolução dos problemas é um dos melhores caminhos para o casal e para o exemplo a se dar para os filhos.

Viu como é possível evitar brigas de casal na frente dos filhos? E se você deseja entender mais sobre as emoções das crianças, acompanhe o nossas páginas no Facebook Instagram e aprenda mais sobre como =&19=&as =&20=& dos pequenos!

Leia mais