Publicado em Deixe um comentário

Tem que ser muito homem para chorar

Muitas pessoas já se depararam com um vídeo em que meninos e homens choram. Esse vídeo faz parte de uma campanha chamada #ManUp. Man Up é uma série documental de três partes e uma campanha de conscientização social, organizada pela personalidade do rádio Triple M, Gus Worland.

Veja o vídeo da campanha aqui.

Masculinidade distorcida

Atualmente, conceitos distorcidos de masculinidade levam meninos a não demonstrarem suas emoções. Porque demonstrar seus sentimentos é sinônimo de demonstrar fraqueza. Temos dito isso há anos para os meninos, o famoso “homem não chora”. Isso pode ser muito perigoso.

Pesquisas já mostram que muitos suicídios poderiam ser evitados se os homens se expressassem mais. O suicídio é agora a principal causa de morte para os homens australianos entre 15 e 44 anos. E uma nova pesquisa alarmante sugere que alguns homens escolhem tirar sua própria vida, ao invés de parecerem fracos, pedindo ajuda.

Essa campanha encoraja os homens a se abrirem. A falar dos seus sentimentos, a expor suas emoções, a pedir ajuda. Não há nada mais humano que isso, certo?  Aliás, quando nascemos, nossa primeira forma de comunicar é o choro.

choro bebê

Humanidade e Vulnerabilidade

Educamos nossas crianças – nesse caso, os meninos – a esconderem suas emoções. Sem pensarmos no perigoso e nas consequências da forma que displicente que ignoramos os sentimentos. O ser humano é vulnerável, e mostrar sua vulnerabilidade é a forma mais pura de humanidade. (No próximo post, prometo falar mais de vulnerabilidade.)

Para quem quer se aprofundar, o documentário “The Mask You Live In” está disponível no Netflix. Fala bastante sobre a questão da masculinidade e seus conceitos nos Estados Unidos. É uma excelente ferramenta para trabalhar com os adolescentes na sua escola ou na sua casa e promover a saúde mental deles.

Veja o trailer aqui.

ctas-tmnb_modelo-1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *